Whatsapp: (13) 99171-6640
Hideki Anagusko > Gestão Financeira > Revisão de Custos e Despesas

Revisão de Custos e Despesas

Como é sua estrutura de custos? Como suas despesas vêm evoluindo? Quais gastos são realmente necessários? Quais seus principais desembolsos? Que contas absorvem a maior parte de suas receitas? Como seria possível aumentar a margem líquida de seus produtos ou serviços? Quanto custa vender uma caneta? Quanto custa cada hora que a loja fica aberta?

Capa HDK serviço revisão de custos e despesas

Quanto menores forem os custos para a empresa, maiores serão os retornos financeiros que ela terá

Quando dizemos que o objetivo fim de toda empresa é gerar lucro para seus acionistas, falamos essencialmente de dois desafios: aumentar receitas e diminuir despesas. Não tem segredo, é simples assim – apesar de com certeza não ser fácil também.

Para começar, uma das maiores dificuldades que encontramos é o hábito comum de muitos empreendedores em focar totalmente nas receitas e se esquecerem das despesas. E nelas há tantas coisas que deveriam saber. Como é sua estrutura de custos? Como suas despesas vêm evoluindo? Quais gastos são realmente necessários? Quais seus principais desembolsos? Que contas absorvem a maior parte de suas receitas? Como seria possível aumentar a margem líquida de seus produtos ou serviços? Quanto custa vender uma caneta? Quanto custa cada hora que a loja fica aberta?

Em 2014 eu escrevi este artigo no Portal Administradores onde fazia a seguinte explanação:

“…muitos gestores acreditam que sua liquidez é baixa e sua lucratividade pior ainda simplesmente porque sua receita é pequena, e ela que tem que mudar. Mas raramente percebem que o problema não está nas entradas, e sim nas saídas. Isso porque estão tão acostumados com as rotinas administrativas que não reparam atentamente nos detalhes. Acontece que esses pequenos detalhes podem fazer muitíssima diferença. Neles se escondem custos desnecessários que somados corroem a rentabilidade de qualquer organização.”

Há vários motivos para que você dê mais atenção aos custos e despesas do seu negócio: além de se prevenir contra momentos de instabilidade econômica, empresas que implantam programas de redução de custos de forma espontânea aumentam suas margens de lucro e, consequentemente, geram mais dinheiro para investir em crescimento e, por que não, diferenciação.

No artigo “Especial: 7 Técnicas de gestão para corte de custos (Não use as duas últimas!)” eu contei uma rápida história sobre a Brahma, talvez você já tenha visto, mas deixe-me repassá-la novamente aqui.

Era dia 06 de novembro de 1989 quando Marcel Telles entrou pela primeira vez em seu novo escritório na decadente cervejaria que os banqueiros do Garantia haviam comprado.

Mal sabia ele o tamanho do problema que o esperava. Ansiosos por selar rapidamente o acordo com a Brahma, Jorge Paulo Lemman e sua turma dispensaram análises mais detalhadas nas contas da empresa antes da aquisição.

Quando Marcel pôde enfim ver os números de seu novo negócio, a grande bomba. O fundo de previdência da cervejaria tinha um patrimônio de 30 milhões de dólares e uma necessidade de reservas para cumprir suas obrigações que chegava a 250 milhões de dólares – mais de quatro vezes o valor que o banco havia desembolsado para comprar a Brahma.

Para resolver esse abacaxi, Marcel não pensou duas vezes: apoiado pelas lições aprendidas com Sam Walton, no Walmart e aplicadas anteriormente por Beto Sicupira nas Lojas Americanas, ele logo tomou medidas de contenção e corte de custos para salvar a companhia.

O curioso é que embora àquela época a Brahma estivesse bem à frente da Antártica em participação de mercado, com seus quase 30%, seu resultado financeiro era pior do que a da rival paulista.

Tendo na otimização de custos um dos pilares de sua gestão, a agora AB InBev  é a maior cervejaria do mundo, com valor de mercado estimado em 187,95 bilhões de dólares na date de hoje. (03/2015)

E o que isso diz? Bem, claro que é muito importante ter boas receitas, mas não adianta apenas ganhar bem se o dinheiro vai pelo ralo. Muitas vezes os resultados negativos de uma empresa não são culpa de baixos faturamentos, mas sim de despesas altas demais.

É como a metáfora da garrafa furada: Não adianta botar mais água se ela continua vazando. Mas se você reduzir os buracos (custos) cada novo volume de água (receita) que for acrescentado aumentará efetivamente o volume total na garrafa.

Ou seja, quanto menores forem os custos para a empresa, maiores serão os retornos financeiros que ela terá. Assim, consequentemente terá também uma posição competitiva mais favorável, em condições de proteger melhor sua posição no mercado e investir mais seja em qual for a sua estratégia.

Mas e como reduzir custos e despesas? Antes de qualquer coisa, você precisa conhece-los. Por isso estou aqui. A minha missão neste serviço é realizar um exame criterioso e detalhado das suas informações financeiras, analisar a estrutura de custos do negócio, analisar evoluções e identificar riscos e oportunidades, apontando possibilidades de melhorias.

Ao final deste serviço você receberá um relatório detalhado de toda a análise realizada, tendo ainda uma seção por videoconferência para apresentação dos resultados obtidos e elucidação de possíveis dúvidas.

Principais ganhos com o serviço:

  • Conhecimento da estrutura de custos do negócio
  • Possibilidade de redução de custos desnecessários
  • Otimização dos gastos
  • Aumento da Margem Líquida
  • Fortalecimento da posição competitiva

Solicite uma avaliação para que eu possa ajudar nesta jornada!